spc-morar-sozinho

Ter sua própria casa é bom, mas cuidado para não se empolgar demais e se desestabilizar financeiramente

Se você mora ou pretende morar sozinho, saiba que ter um local para chamar de seu tem diversos benefícios: privacidade, liberdade, não precisar dar satisfação para ninguém, chamar convidados a hora que quiser, entre tantos outros. E não importa se você tomou essa decisão por vontade própria ou por necessidade: a verdade é que, quando você tem uma casa para cuidar, vai viver muitas experiências bacanas mas, também, precisa ser muito responsável e controlar bem as finanças.  

Segundo pesquisa realizada pelo SPC Brasil e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), oito em cada dez pessoas que moram sozinhas (79% dos entrevistados) não se planejam financeiramente antes de dar esse passo. Além disso, 34% afirmam que morar sozinho contribuiu para que elas extrapolassem o orçamento. Então, a partir da experiência de Eduardo Jaime e Allan Damasceno, dois amigos, ambos empresários, hoje com 33 anos, que foram morar sozinhos há 2 anos, listamos dicas preciosas para quem mora ou quer sozinho.  Fique de olho!

SE VOCÊ JÁ MORA SOZINHO

Planeje-se. Não tem como fugir de um bom e completo planejamento quando você mora sozinho, afinal, as despesas são suas e não tem ninguém para te ajudar, por exemplo, a lembrar de pagar a conta de luz.  E não pense que é só colocar o preço do aluguel na planilha financeira e pronto. Essa lista precisa ter todos os seus custos com a moradia – incluindo uma análise do quanto você gasta com transporte, água, luz, condomínio, aluguel.   “Depois dessa planilha pronta é importante ter em mente que a conta precisa ser suficiente para cobrir todos os gastos e ainda fazer uma reserva financeira para emergências”, avalia Marcela Kawauti, economista-chefe do Portal Meu Bolso Feliz. Além disso, durante o planejamento:

1 – Avalie se você não tem planos e sonhos estagnados As despesas do dia a dia são tantas que, muitas vezes, nem paramos para avaliar se não é hora de cortar gastos. Quando se mora sozinho, sem compartilhar esses valores com ninguém, o problema é ainda maior. Muitas vezes, avaliando sua rotina você consegue economizar e guardar dinheiro, por exemplo, para viagem que você quer fazer e nunca faz.

2 – Programe as contas para não esquecer Aqui, mais um exemplo prático para facilitar a vida de quem mora sozinho e tem muitas contas a pagar: débito automático. Afinal, a conta de luz, de água e o aluguel, por exemplo, são despesas fixas e correr o risco de esquecê-las não é uma opção. Pense nisso!

Falando em reserva… É isso mesmo: não adianta você ter o dinheiro para cobrir apenas as despesas do mês seguinte, afinal, imprevistos acontecem, certo? Você pode, de um dia para o outro, precisar fazer um concerto na casa, ficar doente ou perder o emprego, por exemplo. “Morando ou não de aluguel, é importante ter 6 meses de gastos totais como reserva para um imprevisto”, aconselha Marcela.

Encare sua realidade financeira. Sempre tenha em mente um diagnóstico muito claro de quanto você ganha e de quanto você gasta. Por exemplo: se mês passado sua vida estava tranquila financeiramente e, agora, por algum motivo você recebeu menos ou teve uma despesa inesperada, precisa sentar e alinhar novamente seus gastos. Essa revisão precisa ser realista e constante.

Aprenda a faxinar. Quando você mora sozinho é importante se organizar para deixar seu cantinho arrumado e limpo. Mas uma ajuda de uma faxineira pode desestabilizar o orçamento. “Faça a manutenção semanal e, se achar necessário, combine com uma faxineira uma vez por mês. Assim ela te ajuda no trabalho pesado e você garante um apartamento ou casa sempre arrumado”, aconselha Marcela.  

Controle a empolgação. Uma das coisas mais legais é chamar todos seus amigos para uma visita. O problema é que organizar esses eventos também custa caro e, muitas vezes, os custos ficam para o anfitrião. Então, é preciso controlar os gastos quando alguém vier te visitar. Considere também dividir os custos das comidas e bebidas.

Avalie o local que você mora e se não é hora de escolher uma nova moradia. Por exemplo: você está em um trabalho estável e sua casa, alugada, é super longe do local onde trabalha. Mais um: o bairro onde você mora ficou muito caro nos últimos tempos e o aluguel só aumenta. Em outras palavras, sempre avalie se você está bem onde mora ou se é hora de procurar um novo local para chamar de seu considerando o custo x benefício.

Programe-se na hora das compras. Pense na situação: você está cansado e se dá conta   de que não tem nada para jantar. Para facilitar, você vai parar em qualquer mercado ou padaria, muito provavelmente, aquele lugar mais caro que tem na esquina da sua casa. Por isso, o ideal é se organizar para ter os itens essenciais sempre em estoque. Entre eles: produtos de limpeza, arroz, sal, azeite e tudo que você usa com frequência e que não estraga com facilidade. Para evitar desperdícios, fique atento aos produtos perecíveis. Se está na dúvida se vai usar um ou dois pés de alface nas próximas semanas, por exemplo, compre um e avalie se a quantidade está correta. Assim, com o tempo, você vai entendendo suas compras e adquirindo apenas o que precisa.

Se você vai mudar agora!

As dicas acima são muito úteis para quem já mora sozinho e para quem pretende se aventurar. Abaixo, mais algumas sacadas certeiras para quem está de mudança!

Deixe a ansiedade de lado. Sim, quando você resolve mudar, logo vem à cabeça tudo que vai comprar para seu canto novo. Um sofá gigante, itens de decoração, um conjunto de panelas que você quer faz tempo. O problema é que tudo isso custa caro e suas despesas fixas terão aumentando muito. “A vontade de ter a casa pronta pode complicar, e muito, sua organização financeira”, explica Marcela. Por isso, tenha em mente que conquistar as coisas aos poucos é uma estratégia mais vantajosa do ponto de vista financeiro. Você não precisa ter um apartamento de cinema do dia para noite.

Reutilize..É bem provável que sua avó, seus pais ou aquele tio próximo tenha algo que te interesse: copos, talheres, toalhas ou até uma cama. Claro que é importante ter certeza que, para eles, os itens não são mais úteis e que para você são.

Garimpe.  Mês a mês você vai comprando tudo que quer, sem pressa. Certo? Então, uma dica importante é pesquisar e bater perna. As lojas de decoração “da moda” podem custar uma fortuna, mas servem de inspiração. Então visite essas lojas, mas não deixe de entrar em locais menores, olhar lojas online e até lojas virtuais que vendem pelo Instagram.

Coloque na cabeça que suas prioridades de consumo vão mudar. Quando você mora, por exemplo, com seus pais, provavelmente não gasta dinheiro com produtos de limpeza, saco de lixo, sabonete, verduras, legumes. Pois é, agora vai gastar, e a soma de tudo isso custa caro.Por isso, é importante encarar uma mudança de padrão de vida sem sofrer. Afinal, você vai ter que abrir mão de algumas festas, jantares fora e até compras de roupas e outros itens supérfluos. As despesas e prioridades mudarão e isso não é um problema!

 

Fonte: Portal Meu Bolso Feliz

0
0
0
s2smodern