bem-estar-financeiro

Ficar no azul, guardar dinheiro e aproveitar o ano que está chegando. Fique de olho nas dicas para ficar tranquilo e de bem com o seu bolso.

Quando pensamos em dinheiro, às vezes as coisas não saem exatamente como planejamos, não é verdade? Parece estar tudo sob controle até o momento em que precisa comprar um presente de casamento, aumenta o valor de alguma conta fixa ou um imprevisto aparece e não há recursos para resolver o problema. É nesta hora que surge aquela sensação de estarmos sendo controlados pelo dinheiro.

A boa notícia é que é possível acabar com a sensação de estar sempre no limite, pensando em dinheiro e sem recursos suficientes para viver tranquilamente. A saída? Planejar-se para alcançar esse bem-estar financeiro, que pode ser definido como um estado em que o indivíduo tem capacidade de honrar as suas obrigações financeiras; sente-se seguro com relação ao futuro financeiro; pode fazer escolhas que lhe permitam aproveitar a vida e tem capacidade para lidar com imprevistos financeiros.

Em 2016, por exemplo, Marina Brands diz ter cometido alguns erros que a fizeram viver angustiada, bem longe de um bem-estar financeiro: começou o ano com várias parcelas altas no cartão de crédito e zero reais na poupança – não tinha um plano contra imprevistos. Por isso, quando o primeiro probleminha surgiu ela se complicou, logo viu seu nome negativado. Mas Marina aprendeu rápido e, em 2017, a história foi outra. “Além de definir meus objetivos de vida que envolvem dinheiro, listei atitudes que eu deveria tomar para alcançá-los. Além disso, nem sempre conseguimos saber o que vem a seguir, por isso é importante estar sempre precavida”, diz.

A tarefa não foi fácil, mas Marina garante que valeu a pena. “No fim de 2017 eu já consegui planejar sonhos como, por exemplo, algumas viagens que quero fazer. Tenho uma reserva financeira e, melhor, não me preocupo mais se terei dinheiro ou não para terminar o mês com tranquilidade”, explica. Então, para que 2018 seja ainda melhor, listamos dicas para você garantir a sua tranquilidade e bem-estar financeiro!

9 dicas para garantir um bem-estar financeiro

1 – Acompanhe a avalie suas finanças

Marque um compromisso na agenda com você mesmo para administrar seu dinheiro no dia a dia. Toda manhã, por exemplo, cheque seu extrato bancário, veja as despesas que tem para pagar em breve, o quanto possui na conta, veja a fatura do cartão e, por fim (e esse passo é igualmente importante): analise suas finanças e organize-se para não gastar mais do que possui. Procure também anotar todas as compras e gastos diariamente. Um caderninho ou aplicativos de gestão financeira podem ajudar. Acredite, dessa forma você terá mais tranquilidade para aproveitar a vida.

2 – Saiba que imprevistos acontecem

Não tem jeito: por mais que façamos planos, imprevistos acontecem. Assim, para ter bem-estar financeiro é fundamental preparar-se para as emergências. Caso contrário, se verá obrigado a recorrer ao crédito e arcar com as altas taxas de juros de empréstimos pessoais, o que dificulta ainda mais a economia para viver bem e com tranquilidade. Solução? Fazer uma reserva financeira pensando especificamente nestes acontecimentos inesperados.

3 – Pense no futuro

Não deixe para amanhã a atitude de começar a poupar. As escolhas que você fizer hoje impactarão na sua vida e, quanto mais cedo você começar a pensar sobre isso, melhor. Faça um plano imaginando sua vida no futuro. Como deseja que ela esteja? Se for difícil pensar em um tempo que parece muito distante, planeje-se para economizar um pouco por dia ou mesmo por mês – no longo prazo essa quantia resultará em um bom montante.

4 – Saiba identificar “culpados”

Se o dinheiro acabar antes do mês, encare o problema e faça um diagnóstico para identificar os motivos. Foi por algum gasto específico? Compras impulsivas? Excesso de despesas fixas? Com o diagnóstico em mãos, encontre a solução e corte as despesas necessárias.

5 – Economize sem sofrimento

Quando precisar apertar os cintos e cortar luxos, encare isso como uma realidade comum em muitos lares brasileiros. A renda de cada um impõe certos limites, e isso é perfeitamente normal. Buscar outras formas de renda também pode ser uma solução, especialmente se você avaliar que já cortou todas as despesas possíveis.

6 – Não naturalize estar sem grana

Não se contente em chegar no final do mês zerado, encarando como algo natural. Não conseguir economizar apenas te deixa mais distante dos seus sonhos! Sem contar a dor de cabeça de viver sempre no limite. Direcionar uma quantia para a reserva financeira logo que o salário cai na conta é uma forma de evitar chegar ao final do mês e perceber que não tem mais dinheiro para a poupança. Você pode facilitar esse processo programando junto ao banco para que o valor seja direcionado para a poupan~ca automaticamente. Não importa se são 5 reais ou 200. O importante é guardar.

7 – Liste sonhos

Além de ser uma delícia, colocar seus objetivos no papel é o primeiro passo para realizá-los, afinal, você terá um ânimo extra para organizar sua vida financeira. Bateu aquela vontade de gastar com algo supérfluo (mesmo sabendo que não está sobrando grana)? Abra a gaveta dos sonhos e lembre-se de objetivos maiores que valem mais à pena.

8 – Fuja do crédito fácil

Por algum tempo, a facilidade pode até te dar uma mão com as finanças, mas isso não é sustentável. Uma hora a conta chega, com juros e correção! Encare a premissa “fuja do crédito fácil” como um mantra! Este é certamente um passo importante rumo ao bem-estar financeiro.

9 – Exerça o autocontrole

Gastar é bom, mas pode ser melhor quando se faz sem dor na consciência e sem se afundar em boletos e faturas. “O ato de comprar pode provocar uma sensação de bem estar, euforia e relaxamento, o que induz os consumidores a agir por impulso em busca desse tipo de recompensa. Além disso, o bombardeio publicitário e as facilidades do parcelamento dão a falsa impressão de que essas compras não vão abalar o próprio orçamento”, explica o educador financeiro do Portal Meu Bolso Feliz, José Vignoli. Mas comprar por impulso — mesmo quando se está com dinheiro — resulta em gastos desnecessários, falta de planejamento e desperdício de um valor que poderia ser utilizado em itens realmente necessários ou em experiências mais desejadas.

Fonte: Portal Meu Bolso Feliz

0
0
0
s2smodern